Emancipa em: “Os primeiros filhos” – A História da Rede

imagem2Foto: Taline – fundadora e coordenadora – turma de 2011.

I por ALEX DA MATA e TALINE CHAVES

OS PRIMEIROS FILHOS

Era um dia como esses de inverno, clima seco, sol durante o dia e frio ao finalzinho da tarde e de noite… Um grupo de jovens se reúne numa padaria no centro da cidade. Eram em sua maioria estudantes universitários, mas havia também alguns professores, todos preocupados com a educação dos jovens da periferia.

Como podia, numa cidade tão populosa, com tantos jovens, não haver nenhum projeto de educação popular para além do ensino básico?

No meio desses devaneios e sonhos, surge a ideia de construir um projeto de cursinho, visando à inclusão dos jovens e adultos da periferia nas universidades, nas melhores universidades.

A partir disso, foi só correria e esse sonho tinha que ser concretizado, dezenas de reuniões nas lanchonetes, praças, shopping, salas e quartos das casas. As discussões são acaloradas; Necessitamos  de um projeto político pedagógico” argumenta uma, a outra diz: precisamos de regras, o cursinho tem que ter uma moral”.

Dúvidas iam surgindo, questionamentos, incertezas, inseguranças, entre outras mil coisas. Mas também havia coragem e muita obstinação. Ideologia e sonhos à frente, na retaguarda a força de vontade, a audácia, a coragem e o ímpeto juvenil.

imagem3

Foto: Alex da Mata – fundador e professor – Turma de 2011.

Os professores correram atrás do lugar para o cursinho, os universitários atrás de mais professores e material didático. Todos à escola”, “é hora de divulgar a nova ideia, o projeto”.  “Precisávamos de um nome”, e foi escolhido, votado: “o nosso porta bandeira, o nosso estandarte será o maior ativista da questão ambiental no país”, um simples seringueiro que sonhou e ousou unir trabalhadores nos seringais com os índios, com os povos ribeirinhos, com os pescadores, com todos os povos da mata, em defesa do nosso verde, na defesa do nosso planeta.

A escola foi acertada para a realização do cursinho, uma diretora honesta e batalhadora. “Que comecem a divulgação”, as primeiras datas, o primeiro calendário, os primeiros cartazes e panfletos, as primeiras falas nas escolas, tudo novo… mas tudo pronto‽

Não! Dezenas, quero dizer, centenas de alunos inscritos, e agora o que fazer? Prova socioeconômica? Como selecionar? Incluir sem excluir! Dúvidas mil.

Enfim, chegou o grande dia, o nascimento. Opa, peraí, mas que parto é esse? A coisa se complicou, inúmeros obstáculos à frente, e agora?

– Nasceu, nasceu, surge o cursinho popular Chico Mendes, primeiro projeto de educação popular emancipadora da cidade de Itapevi.

– Quer dizer que os obstáculos foram superados então?

NÃO, mas ainda é só o começo, por hora, ficaremos por aqui com a alegria do nascer, com a felicidade da vida, do novo. .

Deixemos as dores e consequências do parto para o próximo capítulo…

Conhecendo um pouco os nossos alunos…

white_retrato

[Entrevista: DANIELLA ALEXANDRE I Edição: WILKER SANTOS]

Conversa com Mateus Almeida Torres (estudante do Cursinho Chico Mendes)
Aniversário: 13/08 (19 anos)

1-Gostaríamos de saber sobre alguma experiência que foi marcante para você.
Eu prestei o Enem para testar os meus conhecimentos e ver minhas dificuldades.

2-Qual curso você pretende cursar?
Educação física, porque gosto.

3-Você segue alguma rotina de estudo? Como se organiza?
Pego temas diversificados a cada dia e estudo.

4-Já prestou algum vestibular? O que achou?
Eu prestei somente o ENEM.

5-O cursinho o influencia de alguma forma? 
Acho bem legal. Adquiri conhecimento, melhorei nos estudos e me influencia a querer entrar na universidade.

Conversa com Alan Silva Santos (estudante do Cursinho Chico Mendes)
Aniversário: 15/08 (19 anos)

1-Gostaríamos de saber sobre alguma experiência que foi marcante para você.
Já fui à USP, MASP e Feira do Estudante.

2-Qual curso você pretende cursar?
Fazer Letras na USP.

3-Você segue alguma rotina de estudo? Como se organiza?
Estudo oito horas por dia, disciplinas misturadas.

4-Já prestou algum vestibular? O que achou?
Eu já prestei o ENEM.

5-O cursinho o influencia de alguma forma? 
Acho excelente. Trouxe-me novos rumos, tanto profissional quanto pessoal.

Conversa com Tamires Irene (estudante do Cursinho Chico Mendes)
Aniversário: 03/08 (25 anos)

1-Gostaríamos de saber sobre alguma experiência que foi marcante para você.
Já participei do primeiro semestre de Gestão Hospitalar na Anhanguera.

2-Qual curso você pretende cursar?
Enfermagem ou Gastronomia.

3-Você segue alguma rotina de estudo? Como se organiza?
Estudo o dia inteiro, disciplinas diferentes.

4-Já prestou algum vestibular? O que achou?
Não, mas pretendo prestar o ENEM.

5-O cursinho o influencia de alguma forma? 
Esperei três meses pela vaga no cursinho e adorei! ❤

Os Perigos de Uma Escola sem Partido

imagem1

Foto: Crédito Rede Emancipa

[ por BINHO NOVAES e ERICK MIRANDA ]

O ano de 2016 apresenta diversos momentos de retrocesso da sociedade brasileira. Tais retrocessos podem ser percebidos pelos diversos ataques que se transvestem em projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional. Em linhas gerais, as discussões giram em torno de como aviltar qualquer possibilidade de organização das camadas exploradas através do aviltamento das condições de trabalho por um lado e, por outro, impossibilitando que a nossa limitada educação possa transformar essa realidade. Em comum, os projetos apresentam a defesa dos setores mais reacionários que foram alçados ao Legislativo federal na última eleição.

Na condição de militantes da educação popular libertadora, acreditamos que seja de suma importância discutir um dos projetos que se enquadram nas características anteriormente apresentadas: Escola Sem Partido. O projeto tramita, em concomitância, no Congresso Nacional e nas Assembleias Legislativas estaduais – como não deveria faltar, a Assembleia Legislativa de São Paulo conta com a tramitação de um projeto. Aliás, é do estado de São Paulo que temos uma das discussões mais antigas sobre o tema.  Apesar de toda a discussão ensejada pelo projeto, levando o tema para enquete pela internet na qual, até o momento, a população se opõe ao mesmo.

A grande repercussão do projeto não se deve ao mérito da questão apresentada. Além de ser juridicamente inconstitucional – como aponta nota técnica do MPF−, tal projeto não conta com adesão de nenhuma instituição que faça discussão sobre educação pública, como também é deslegitimado até pelas instituições particulares através da manifestação da ABEPAR (Associação brasileira de escolas particulares) que repudia, com veemência, o caráter autoritário da proposta. Não possuindo méritos jurídicos como também teóricos, a proposta se apresenta como um engodo que é capaz de seduzir aqueles com pouca experiência nas discussões sobre educação, como também professores desavisados.

Sob a premissa de neutralidade os defensores do projeto buscam uma   mudança da Lei de Diretrizes e Bases Educacionais (L.D.B. 9394∕   96) sem, ao menos, demonstrarem dados que corroborem suas   afirmações.  A noção de neutralidade defendida pelos signatários da proposta demonstra o pouco tato com as discussões filosóficas. A crença de uma ciência neutra caiu por terra ao longo do século XX, porém os idealizadores do projeto não levam em consideração a extensa bibliografia que versa sobre a intencionalidade na produção científica, seja ela relacionada às Ciências Naturais ou às Ciências Humanas e Naturais.

Para além da defesa de um conceito ultrapassado como o de neutralidade, os entusiastas do projeto apresentam uma fixação por determinadas falácias. A falácia mais prolífera no discurso desse grupo se dá pela luta à “doutrinação ideológica”, sendo mais específico o alarde quanto a uma suposta “doutrinação marxista” promovida pelos professores. Precisamos nos atentar à desonestidade que estrutura tal discurso que só percebe a ideologia em posições contrárias às convicções daqueles que formularam a proposta. Em contrapartida, a defesa de posições morais e religiosas não é encarada como uma questão ideológica por aqueles que advogam por uma escola “livre de ideologia”. O projeto ancora-se, além das falácias, em contradições evidentes.

Apelando para um macartismo obsoleto, os defensores do projeto buscam eliminar qualquer discussão que faça contraposição à estrutura socioeconômica vigente. Longe do pluralismo de ideias, muitos dos que endossam a discussão do projeto Escola Sem Partido creem que o aluno deva apenas partilhar das discussões que vão de encontro com as posições de âmbito familiar e religioso, acabando por confundir os espaços públicos e privados. O intento seria o de oferecer abrigo às posições mais conservadoras sem que as mesmas pudessem ser desconstruídas através do diálogo e do questionamento.

A análise do projeto demonstra a grande inconsistência que o embasa. Apesar dessa inconsistência, é possível perceber a sanha de determinados setores pela possibilidade de promover um definhamento das poucas possibilidades de gerar uma sociedade mais democrática e inclusiva.

É necessário que, percebamos que tais propostas, apesar de não serem recentes, tomaram corpo justamente em um momento que os estudantes começam a questionar de forma mais incisiva as disparidades que acercam a educação brasileira, como também a sociedade.

A intensa mobilização estudantil que possibilitou derrotas ao governo do estado de São Paulo está ameaçada pela possibilidade de projetos dessa lida ser validado pelo Legislativo.

A defesa sobre melhoria da educação e da sociedade não se constrói pelo emudecimento das vozes que clamam pela transformação. A escola é espaço de debate e confronto de ideias, sem essa possibilidade a educação perde qualquer possibilidade de ser transformadora. Acaba por assumir a condição da reprodução de um único discurso sem a possibilidade do questionamento como tenciona o movimento Escola Sem Partido.

imagem2

Foto: Reprodução

Em breve REVISTA DO CHICÃO!

Legenda: Momentos de discussão sobre a revista
Fotos por Wilker Santos e Erick Miranda

E no principio era a ideia, a ideia estava presente, e assim ela se concretizou!!! Não entendeu, nada? rs Em breve a realização da ideia estará com todos… o nome dela é REVISTA DO CHICÃO. E olha só o que lhes aguardam!!:)

  • 10 anos de História Emancipa
  • Produção artística de alunos e professores da Rede.
  • Relatos de quem está na universidade
  • Artigos para reflexão
  • Dicas para vestibulandos
  • Cidadania
  • Dicas Culturais

E tem muito mais que, para este primeiro momento, ficará como “surpresa” até o lançamento da 1ª EDIÇÃO que em breve será disponibilizada aqui e no facebook.

Entrou na faculdade? Conte pra nós

Finalmente os vestibulares chegaram ao fim, e com eles, um ano em que você, com certeza, lutou muito. O cursinho Chico Mendes quer PARABENIZAR cada estudante que passou por nosso cursinho. Você já é vitorioso por ter enfrentado as batalhas cotidianas que impedem milhões de jovens de estudar.

Se você foi aprovad@ em algum vestibular de Universidade pública ou particular, vestibulinho, foi selecionad@ no SISU, PROUNI ou algum outro processo seletivo, conte pra gente!

 

Material abordado na Gramática

Meus Caros e minhas caras,

Segue abaixo à apostila de revisão dos conteúdos vistos no último semestre e o último conteúdo abordado em sala de aula.

Também posto aqui as listas de exercícios sem as resoluções.

Quem quiser as resoluções envie um e-mail para: eli_graci@hotmail.com

Para os alunos da sala 3 e 7 infelizmente não consegui dar a revisão antes do simulado, por isso, peço que estudem todo o material abaixo e tirem suas duvidas nos grupos de estudos e plantões de duvidas.

Dia 08.08.15 darei uma ultima revisão abordando os principais pontos da morfologia antes de entramos na tão sonhada sintaxe.

Bons estudos. Bom simulado.

Qualquer coisa manda e-mail….whatsapp ou um grito de socorro…

Bjs…

Sarah

Revisão Tirinha-1 Preposições e Conjunções Lista 1 de exercicios lista 2 exercicios Lista 3 exercicios

Vem aí o 7º Dia na USP

Venha conhecer e ocupar a USP com o Cursinho Popular Chico Mendes da Rede Emancipa!

O Cursinho Popular Chico Mendes

 

Estudar numa universidade pública e de qualidade é o sonho de muitos jovens. A imensa maioria deles estudou em escola pública e muitos acreditam que uma universidade como a USP não é o seu lugar. A Rede Emancipa existe para dizer o oposto: a universidade pública é direito de todos e todas! Se hoje não é assim, nós estudaremos e lutaremos para conquistar nosso direito!

O Dia na USP existe para por em prática esta luta. É um dia em que reunimos os estudantes e os educadores de todos os cursinhos do Emancipa São Paulo na USP para que juntos conheçam de perto o que é a Cidade Universitária, seu espaço, suas carreiras, sua história. Compartilhar conhecimento é compartilhar poder.

 

Cronograma de organização para o dia na USP

-Neste sábado dia 18/04 estaremos recolhendo o dinheiro das marmitas que custará R$10,00.

-Para aqueles que precisarem de autorizações faça o download da Autorização abaixo, levem-a assinada pelos responsáveis no dia 18 ou dia 25.
Autorização – VII Dia na USP.

-No dia 25/04 não haverá aula no Cursinho, nossa aula será na USP.

-No dia 25/04 levar o dinheiro da passagem no valor de R$7,00 (Ida e Volta), lanche para comer durante o dia, garrafinha de água e pedimos que os estudantes venham com roupas leves, pois, caminharemos na USP.

Em breve divulgaremos a programação.

Vem ai… O Simulado Aberto do Cursinho Popular Chico Mendes

Para os alunos que querem se preparar melhor para o Enem e demais vestibulares, o Cursinho Chico Mendes realizará seu simulado totalmente gratuito para os estudantes de Itapevi e região.

Para aqueles que não são alunos do nosso cursinho pedimos que realize sua inscrição.

A prova será aplicada no dia 02/08, com inicio às 13 horas, que será composta por 90 questões e uma redação.

Recomendações:

– Chegar 30 minutos antes no local em que irá realizar a prova, para evitar atrasos.
– Materiais: caneta, lápis e borracha.
– Traga lanche para comer durante a prova

 

Inscreva-se aqui!